Buscar
  • Alessandro Meneghetti

O ministério do cuidado no pastoreio de adolescentes

O ministério com adolescentes é realmente um desafio. Talvez não o mais difícil enfrentado pelas igreja, mas muitos o veem desta forma. Creio que a razão de ser encarado assim é a fase de vida por que passam adolescentes:  ainda não têm uma identidade formada. Em muitas situações são tratados como crianças, enquanto em outras, são cobrados como adultos.

Muitas vezes, a igreja, sem saber o que fazer, investe exageradamente em programas que têm o objetivo de manter os adolescentes animados e juntos, sempre à vista dos pastores, tratando o entretenimento como um fim e não um meio no ministério.

As mesmas distrações são cobradas por muitos pais que se sentem despreparados para educar os filhos em um crescente cenário de pressão, exposição e tentações. O papel de educador, nestes casos, é erroneamente dado à igreja.  Afinal, do que os adolescentes realmente precisam?

  1. Eles precisam de discipulado

Mark Dever, em seu livro “Discipulado: Como ajudar outras pessoas a seguir Jesus”, define discipulado como ajudar pessoas a seguir a Jesus, tendo em mente o texto de Mateus 28.19,20. E é isso que adolescentes precisam. Precisam primeiramente conhecer a Cristo como seu salvador e de pessoas que os ajudem a aprender mais de Cristo e a amá-lo. Programações, atividades, retiros, cultos e reuniões devem ter o conhecimento de Cristo como foco.

E envolver a igreja no discipulado dos adolescentes é extremamente importante. É necessário que a igreja participe ativamente no acompanhamento pessoal de cada adolescente. A iniciativa deve ser dos pais, contando com o apoio dos outros membros da igreja local..

Mesmo as igrejas que não têm um ministério ou um pastor dedicados exclusivamente aos adolescentes devem se planejar para discipular os seus adolescentes.

  1. Eles precisam servir

Em Efésios 4.12, Paulo nos diz que o propósito de Deus ao capacitar homens e mulheres para o ensino na igreja(v.11) é preparar os santos para o serviço e a edificação do corpo de Cristo. Claro que é necessário separar aqueles que já foram salvos e também administrar os tipos de serviço eles podem fazer, mas a continuação do texto nos mostra os benefícios de servir:  crescimento espiritual, maturidade, não sendo levados por qualquer ensinamento (v.14). O resultado é a edificação de todo o corpo (v.16).

Os adolescentes precisam se sentir úteis dentro da igreja. Mesmo que, a princípio, assumam tarefas que exijam menos responsabilidade, eles precisam servir.  É importante para que eles criem uma história com a igreja.

Foi assim na minha vida. Foram nas oportunidades de servir que eu criei relacionamentos profundos, que me senti animado e ao mesmo tempo constrangido com o meu pecado. Isso reafirmou meu compromisso com a igreja.

Então, gere oportunidades de serviço. Pense em como os adolescentes podem apoiar um missionário, apoiar uma família da igreja que passa por necessidades. Pense em como eles podem trabalhar em ministérios de serviço na igreja, ou entre os próprios adolescentes.

  1. Eles precisam formar o caráter de Cristo

Um dos textos-chave para o ministério de adolescentes é Colossenses 1.28-29. É um texto que se aplica a igreja como um todo, mas mostra o propósito de fazer tudo o que já foi dito: apresentar todo homem perfeito em Cristo. E isto é feito através de anunciar, aconselhar e ensinar o adolescente.

Paulo mostra no versículo 29 que tal tarefa é um trabalho que ele faz com muita luta, tendo em mente que Deus atua nele para cumpri-la. Do mesmo modo, o ministério com adolescentes requer de nós disposição e muito amor, uma vez que eles precisam de nossa atenção constante. O objetivo é formar o caráter de Cristo em cada vida. Diante disso, o trabalho também é muito satisfatório.

Estes três itens não são todas as necessidades dos adolescentes, mas  creio que nos dão uma base para o cuidado com suas vidas. Meu desejo é que a igreja entenda o seu papel em cuidar, orar e investir na vida dos adolescentes que Deus tem trazido ao seu povo.

Posts recentes

Ver tudo

Olá, meu nome é Yago Grisote, membro da Primeira Igreja Batista em Monte Alto/SP. Atualmente estou no M.Div da Escola de Pastores da Primeira Igreja Batista de Atibaia/SP), na quarta turma. O foco do