Buscar
  • Alessandro Meneghetti

Um caminho para a formação teológica


“Por que perder tempo indo para a faculdade?” “A seara é grande e são poucos os ceifeiros!” (Lc 10.2) “Eis-me aqui para trabalhar nos campos!” “Provavelmente um curso superior não vai ser tão relevante para o ministério”. Todos estes argumentos podem até ser válidos, mas uma coisa será fundamental no processo de formação do pastor: a maturidade - emocional e espiritual. “Por que não é bom que seja neófito” (1Tm 3.6), ou seja, novo na fé. E aqui entendemos que a fé passa por provações a fim de tornar-se madura (Rm 5.3-5).

Partimos do pressuposto que maturidade não é medida pela idade, mas pela compreensão e prática da Bíblia.. Você pode pensar que está preparado, já ouviu o seu chamado em alto e bom som, e está pronto para deixar tudo para trás e ir aos campos para a ceifa. Então, eu pergunto - o que você tem que deixar para trás? Pais, amigos…? Considero que os amigos e familiares são nossos maiores bens, e entendemos melhor isso quando estamos longe deles. Mas, além deles, o que dizer de suas experiências, projetos, possibilidades de uma boa condição financeira proporcionada pelo trabalho?

Nossas experiências são o meio de adquirirmos habilidades. E queremos mais que o poder de persuasão no ensino - que é fundamental no desenvolvimento do ministério. Queremos também a capacidade de estar em um meio em que a excelência do indivíduo está relacionada à melhor performance das obras da carne. Queremos praticar a Palavra de Deus em um ambiente inóspito.

No contexto universitário, tem-se a oportunidade de ser provado e tratado principalmente nas áreas de sobriedade, honestidade, cobiça, avareza e soberba. Este ambiente também oferece a chance de se apresentar um bom testemunho. Todas estas áreas são essenciais ao serviço pastoral (1Tm 3.1-6). Ali, começamos a desenvolver o ministério para o qual entendemos ser chamados. O ministério pastoral não se resume ao púlpito e ao gabinete na igreja.

Como você vê estas questões em sua vida? Sua fé foi purificada no fogo (1Pe 1.7)? Seu coração foi testado no campo de batalhas (Gn 22.1-18)? Sua convicção foi fortalecida em meio à crise (Rm. 5.3-6; 1Pe 1.6-9)? Quais foram suas respostas frente a estas provas? Temos uma série de exemplos na Bíblia de homens separados por Deus sendo testados na espera (tempo) e na fé (confiança em Deus).

Abraão recebeu a promessa de uma grande descendência. Deus o fez esperar por vinte e cinco anos até Isaque nascer - Abraão tinha 100 anos (Gn 12-25). José foi vendido como escravo pelos irmãos e preso sob falsa acusação até chegar ao governo do Egito (Gn 37-50). Moisés foi preparado por quarenta anos no deserto, pastoreando as ovelhas de seu sogro (Êxodo). Davi, depois de ser separado por Deus para reinar no lugar de Saul, foi perseguido por este, traído, mas teve um longo reinado (1 e 2 Samuel). Jesus saiu para seu ministério público apenas aos trinta anos (Lc 3.23). Os doze apóstolos já trabalhavam quando foram chamados (Lc 6.12-16). Paulo, após sua conversão, ainda demorou dez anos até iniciar seu trabalho missionário (At 9).

O tempo produz maturidade, as provas aperfeiçoam o caráter.

A seara é de Deus - Ele é o criador dos céus e da Terra. Ele faz com que todas as coisas confluam para a realização da Sua obra. Na prática, nós não devemos ter pressa. Devemos estar prontos para ouvir o sim e o não do Pai. Ouvir o “agora fica” e o “agora vai”. Para isto, não podemos estar parados. A seara é grande e não são apenas os pastores que vão para a colheita, mas todo aquele que crê no Filho de Deus. Não é o seminário que vai fazer de você um pastor. Deus o fará. E para isso, Ele usará o tempo, as circunstâncias e as pessoas ao redor.

Portanto, se você está certo de seu chamado, comece agora a desenvolvê-lo na igreja local, servindo onde há necessidade; na escola, pregando o evangelho; na faculdade, testemunhando; e no trabalho, representando a santidade de Deus.

Grande coisa é desejar o episcopado, mas sua vida deve ser digna de carregar o nome de Cristo. E isto você demonstrará no dia a dia. Faça um curso superior, vá para o mercado de trabalho, desenvolva o ministério do Evangelho. Estudar, trabalhar, ser um bom pai, um bom filho, um bom irmão, um bom marido/namorado, um bom servo. Seu ministério é a sua vida, onde e quando você estiver. Não tenha pressa. Tenha maturidade e vida de serviço. Depois, uma formação teológica certamente fará muito mais sentido para você crescer na vida e ministerialmente.

Posts recentes

Ver tudo